ANDREIA DIAS

Achou que iria ser artista plástica mas sempre soube que o que queria era comunicar, aprender e ensinar. Seguiu artes plásticas, que cruzou com a dança. Licenciou-se em pintura, foi mestranda em ensino das artes visuais e durante vários anos foi professora, formadora e mediadora cultural, misturando na sua vida a educação formal com a não formal.

Foi no museu que encontrou a sua casa e elegeu a educação museal como seu habitat.

Formou-se em Belas Artes - Pintura da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, tem pós-graduação em Ensino de Artes Visuais pelo Instituto de Educação e Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e é atualmente doutoranda em Educação Artística pelo Instituto de Educação em conjunto com a FBAUL e FBAUP. Os seus estudos também incluem Dança, Design Gráfico e Formação Pedagógica.  Em 2006 integrou o Departamento de Educação como educadora e mediadora do museu e, em 2016, integrou a equipa com sua posição actual.

É actualmente responsável pelas áreas de Educação para Escolas e outras Instituições Educativas e de Crianças e Famílias, do Serviço Educativo do Museu Calouste Gulbenkian. O seu papel inclui: programar para escolas e outras instituições educativas, bem como para crianças e famílias; conceber e implementar projectos de parceria de longo prazo com escolas e outras instituições; mediar exposições e dinamizar actividades educativas com diferentes públicos; formar e acompanhar a equipa de monitores.

Tem participado em diversas conferências, com vários artigos publicados, e colabora como investigadora no CIEBA – Centro de Estudos e de Investigação em Belas-Artes desde 2018.

BIENAL IBÉRICA DE PATRIMÓNIO CULTURAL - AR&PA 2019

OPINIÃO

COLUNISTAS

1/17

Um projecto

© 2021 Spira

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.