top of page

As Marionetas do Porto


Isabel Barros*


Em 2013, é inaugurado o Museu das Marionetas do Porto, assinalando os 25 anos da companhia de Teatro de Marionetas do Porto e celebrando a vida e obra do seu fundador, João Paulo Seara Cardoso (1956-2010). Este museu com projeto de arquitetura de José Gigante, pretende ser um espaço de memória e futuro em permanente atualização.


Museu das Marionetas do Porto - Créditos fotográficos: Susana Neves


Marionetas, adereços e outros objetos emblemáticos, utilizados nos espetáculos da companhia, assim como algumas das suas histórias, são a matéria das exposições. O Museu das Marionetas afirma-se como um museu que acompanha a Nova Museologia, um lugar ao serviço da sociedade que trata, conserva, investiga, comunica e exibe testemunhos materiais desta experiência teatral realizada e vivida por artistas.


A missão, os valores, o público-alvo e as estratégias são ajustadas de forma a integrarem, cada vez mais, questões atuais como a acessibilidade, a inclusão, o clima, a identidade, a sustentabilidade, o território e a multiculturalidade, construindo um espaço aberto e de escuta do mundo. Todo o trabalho é realizado com base no pressuposto da mudança/atualização/permeabilidade em direção à participação e à construção de discursos atuais e estimulantes.


A programação do Museu das Marionetas do Porto tem atividades principais as visitas livres, as visitas guiadas e sensoriais, oficinas, bem como a comemoração de dias específicos como o Dia Mundial do Teatro, o Dia Internacional da Marioneta, o Dia Nacional dos Centros Históricos, e Dia Internacional dos Museus, com entradas gratuitas ou redução no valor bilhete, como uma das estratégias para promover o acesso a todas as pessoas. Destacam-se, no âmbito da acessibilidade os programas criados para cegos.


As atividades do museu são realizadas pela equipa permanente, que pela experiência e competência, promove momentos de impacto no despertar artístico e na descoberta do universo e potencial das marionetas. A composição multidisciplinar da equipa, constitui também um fator de relevância no contacto com o público.


O museu distingue-se por ser único na cidade, dedicado às marionetas e por estar ligado a uma estrutura forte de criação artística, a companhia. A proximidade do museu e da sede da companhia, contribui para que muitas das atividades sejam mais ricas e para sua originalidade. Os participantes podem usufruir de uma vasta experiência, que permite compreender a vida das marionetas como objetos museológicos, mas também por acederem ao processo de construção e ação teatral.


O museu celebra em 2023 10 anos de vida - propõe-se como lugar de divulgação do teatro de marionetas, difusão de conhecimento, educação não formal, um espaço aberto à comunidade, que fomenta relações de proximidade, cumprindo a sua função pública.



Programas com a Comunidade Sénior

Quem sou eu? é um projeto de criação, que surgiu da forte motivação para trabalhar com comunidades. Num primeiro momento, o projeto realizou-se com a comunidade sénior, vizinha das Marionetas do Porto, através de uma ligação com o Centro Paroquial e Social São Nicolau, situado no Centro Histórico.


Museu das Marionetas do Porto - Créditos fotográficos: Susana Neves


Numa perspetiva de sensibilização artística e de inclusão social, num segundo momento, com o apoio da Divisão Municipal de Desenvolvimento Social/Câmara Municipal do Porto, foram realizadas novas edições a partir de 2018.


Após quatro edições (2018, 2020, 2021 e 2022) tem sido criada uma forte

aproximação à população senior de vários pontos da cidade, através de um trabalho de criação que implica os participantes seniores de forma intensa.


Seguindo a estratégia habitual, as escolhas das associações têm como foco abranger todo o território da cidade, para que o projeto possa representar a comunidade do Porto de forma abrangente. Nas edições anteriores trabalhámos com seniores de Campanhã, Campanhã/Bonfim, Paranhos e Sé.


Esta atividade, é pensada de forma similar às criações com os profissionais, contemplando um tempo de preparação e pesquisa, reuniões preparatórias, ensaios, trabalho de oficina, reuniões artísticas, ensaios finais e geral, e apresentação. A grande diferença e principal desafio, que distingue esta criação, é o ajuste constante à diversidade de participantes e às dinâmicas de cada grupo. Este projeto, distingue-se pela aposta na qualidade e rigor do trabalho que é realizado com cada grupo, quer ao nível da preparação técnica, corpo e voz, quer ao nível da manipulação de objetos ou marionetas, quer ainda ao nível de todos os intervenientes no espetáculo, promovendo dignamente um património característico e tão rico - a população sénior. O espetáculo revela-se como um encontro de descoberta muito especial e afetivo com o público, que habitualmente é constituído por famílias dos participantes, vizinhos e público em geral, além dos representantes das associações e Município do Porto.


Museu das Marionetas do Porto - Créditos fotográficos: Susana Neves


Em cada edição são produzidos CD’S com a edição do registo do espetáculo, que a companhia oferece a cada um dos participantes.


Impacto do projeto


Este projeto tem sido objeto de estudo a nível académico e ainda apresentado como exemplo de trabalho de integração social através da arte, em momentos vários, como fóruns relacionados com temas de inclusão social, promovidos pelo Município do Porto.

As Marionetas do Porto, mantêm contacto com as instituições com as quais trabalharam de forma a compreender os impactos deste projeto na vida das pessoas. Tem sido feita a análise do impacto resultante deste trabalho artístico e verificado que todos os participantes ficam mais ativos, quer para as rotinas quotidianas, quer para novos estímulos, nomeadamente culturais. Grande parte dos idosos que participaram, revelam-se mais recetivos para novos programas e desejam novas experiências do mesmo género.


Quem sou eu? é uma viagem construída com as pessoas idosas, à procura do belo que há em cada um, inscrevendo na cidade memórias e deixando um precioso testemunho. Trata-se de um olhar sensível sobre a população sénior, sobre o território da cidade; de uma viagem através da memória das pessoas idosas, à procura do belo que há em cada uma.


*A autora utiliza o novo acordo ortográfico.

____________________________________________________________________________________________________


*Isabel Barros

Coreógrafa, encenadora, cofundadora do balleteatro (1983), diretora artística do Teatro de Marionetas do Porto desde 2010 e do Museu das Marionetas do Porto inaugurado em Fevereiro de 2013. Tem um vasto percurso de criação artística, no qual destaca o cruzamento de linguagens, nomeadamente dança, teatro e marionetas. Cedo se interessou por criar momentos de programação ligados à dança, ao teatro e à performance, privilegiando formatos transversais e alternativos e dedicando momentos para criadores emergentes. Recebeu o prémio Almada (1999) atribuído ao balleteatro, como distinção do trabalho realizado ao nível da programação. Em 2018 recebeu a Medalha Municipal de Mérito - Grau Ouro. O Porto é a sua cidade de origem e de eleição, na qual desenvolve o seu trabalho com sentido de urgência e forte dimensão social.




logolettpreto.png
bottom of page