Buscar

Contos e Lendas Transmontanos em livro


A edição, em dois volumes, de "Contos e Lendas Transmontanos" será o culminar de um projecto iniciado em 2017 e que consistiu na recolha exaustiva de contos e lendas dos concelhos de Bragança e Vinhais.


Alex Rodrigues apresentou candidatura à primeira edição do Orçamento Participativo Portugal, sendo este um dos projectos vencedores na área da cultura, implementado pela Direcção Regional de Cultura do Norte (DRCN).

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) realizou a primeira parte do projecto, a qual resultou no resgate e catalogação de 99 narrações da tradição oral e suas variantes dos concelhos de Bragança e Vinhais.

Este trabalho foi desenvolvido, no âmbito de um protocolo com a DRCN, tendo sido implementado nas comunidades escolares dos dois municípios com a colaboração da Academia Ibérica da Máscara, entidade igualmente parceira do projecto.


Os concelhos de Bragança e Vinhais, seleccionados para o projecto, são considerados entre os mais ricos do país em património cultural imaterial vivo, assinalando-se a existência de um grande número de narradores activos, o que permitiu, igualmente, incorporar no projecto 39 vídeos com os "contadores de histórias” a transmitirem de viva voz os seus contos e lendas, tal como os ouviram aos antepassados.

A Academia Ibérica da Máscara seleccionou um conto ou lenda por freguesia para a edição dos dois volumes de "Contos e Lendas Transmontanos". As crianças do 1º e 2º ciclos do ensino básico das escolas de Bragança e Vinhais interpretaram graficamente os contos escolhidos, trabalhos que serviram de mote às ilustrações que integram as publicações.

Prefaciada pelo Senhor Presidente da República e coordenada pela LeYa, esta edição será distribuída pelas crianças que participaram na ilustração dos contos e lendas, bem como apresentada ao público, oportunamente.


Fonte: Direcção-Regional de Cultura do Norte


#LITERATURA #NORTE #PATRIMÓNIOIMATERIAL #CONTOSELENDAS

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/16

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.