Buscar

Activação do património


Já conhece A Avó Veio Trabalhar? Hoje venho falar-vos deste projecto de empreendedorismo social que activa um património humano riquíssimo: as avós de Portugal.

A Avó Veio Trabalhar (passarei a usar o diminutivo a Avó) nasceu em 2014 pelas mãos de uma designer, Susana António, e de um psicólogo, Ângelo Compota. A Avó é um dos projectos da associação Fermenta, fundada em 2013 com o objectivo de derrubar barreiras, criando pontes que ligam gerações e comunidades locais, usando o design como alavanca para preservar o legado imaterial das nossas avós – ao mesmo tempo que lhes proporcionam experiências únicas como passeios a Madrid ou desfiles na Moda Lisboa.

O trabalho da Susana e do Ângelo é um exemplo de como se pode aliar o experimentalismo do design ao saber fazer, potenciando o conhecimento dos elementos mais séniores da nossa sociedade. Por um lado, valoriza-se (e reconhece-se) o saber das nossas avós (e avôs); por outro, traz-se um novo dinamismo ao seu dia-a-dia. E que dinamismo! Basta acompanhar as redes sociais da Avó para perceber que anda sempre na boa-vai-ela, ora a provar sabores do Oriente ou a dançar nos Bons Sons (só para dar alguns exemplos).

Foto: Pedro Sadio

Precisamos de mais Susanas e de mais Ângelos pelo mundo para garantir que não se infantilizam nem se esquecem os nossos cidadãos séniores. Têm uma experiência, conhecimento e saber-fazer únicos, que devem ser celebrados, divulgados e valorizados. «O que as avós sabem fazer é muito valioso e pode ser transportado para a contemporaneidade», afirma Susana numa entrevista ao Observador.

A Avó começou a germinar em 2005, ano em que Susana António foi convidada a participar na exposição internacional My World New Crafts na Experimenta Design. Foi um trabalho de co-criação de produtos com uma equipa sénior, sendo que cada produto tinha identificada a pessoa que o tinha feito. Pouco tempo depois, o seu trabalho cruzou-se com o de Ângelo e candidataram-se ao programa da Câmara Municipal de Lisboa programa BIP/ZIP (Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária de Lisboa). Conseguiram apoio para criar e manter o primeiro núcleo da Avó na Junta de Freguesia de S. Paulo, em Lisboa.

A Avó nasceu com um foco mais feminino mas também já trabalham com avôs que substituem as tardes de cartadas no jardim por novos usos às suas mãos como é o caso da marcenaria. Quando começaram, eram uma equipa de 12. Hoje contam com mais de 70 avós.

Nos últimos anos foram várias as conquistas. Destaca-se claramente a quebra de tabus. Old is the new young é um dos lemas de intervenção. Pretendem combater a falsa ideia de que ser mais velho é ser pouco útil ou já não ter nada para dar. Pelo contrário: as avós da Avó parecem ter mais energia que muitos de nós: genica não lhes falta! Elas passeiam-se pela Moda Lisboa, fazem visitas guiadas por Lisboa (programa Follow the Grannie), ensinam pessoas de todo o mundo a bordar e a costurar, fazem sucesso no Festival Bons Sons... enfim: o universo da Avó parece só agora estar a começar!

Foto: Pedro Sadio

Por falar em passeios, a Avó quer levar as avós a Eindhoven. Nada mais nada menos que à Dutch Design Week que acontece já de 20 a 28 de Outubro. Está a decorrer neste momento uma campanha de angariação de fundos nesse sentido. Já imaginou? Avós portuguesas a mostrar o seu trabalho num dos principais eventos de design internacional? Para saber como ajudar nesta missão em particular, visite: https://www.facebook.com/AAvoVeioTrabalhar/.

Ainda não é avó (ou avô) mas gostava de fazer parte deste negócio social que é uma grande família? Pode experimentar alguns dos serviços da Avó como as visitas guiadas por Lisboa, prendas de casamento, peças feitas à medida para decoração, merchandising para empresas ou workshops de mão-na-massa. Mas também pode comprar os seus produtos lindos e feitos à mão com muito amor em Lisboa. As colecções da Avó estão à venda nos seus pontos-de-encontro que também são lojas (por exemplo, na Rua Poço dos Negros número 124).

Os produtos da Avó mostram como design e tradição se podem fundir em objectos únicos que criam valor tanto para quem os faz como para quem os consome. O universo de produtos é vasto e surpreendente, desde almofadas, bonecos de pano ou mantas. Fazem as delícias de todos os que os levam para suas casas e enchem o coração destas avós.

Foto: Pedro Sadio

A Avó veio trabalhar é muito mais do que um projecto de reinserção social para quem se reformou. É um projecto de vida para todos os que dele fazem parte. Ter 60, 80 ou 90 anos não implica deixar de pensar no futuro nem passar o dia sentado frente a um televisor. Citando a Avó Fernanda Martins numa entrevista à SIC: «... Trabalhamos mas brincamos, cantamos... Pintamos a manta, como se costuma dizer!».

Que a Avó continue a espalhar sorrisos por todos os cantos do mundo mas, acima de tudo, que continue a preencher as vidas de todas estas avós e avôs, para que continuem a celebrar a sua vida, presente e futuro e a transmitir o seu conhecimento (e genica) a todos nós!

#OPINIÃO #PatríciaValinho

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/15

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.