Buscar

MEXE: Encontro Internacional de Arte e Comunidade



O Porto recebe mais uma edição do MEXE – Encontro Internacional de Arte e Comunidade, cuja programação inclui espectáculos, conferências, cinema, oficinas e concertos, articulando/se sobre o tema "O Comum em tempos de Confusão".


«A 5ª edição do Mexe propõe um encontro com as diversas formas de produzir “o comum” no agora. (...) O convite para MEXER em “comum”, durante uma semana, convoca-nos a questionar as lógicas de vida rígidas normativas que nos são apresentadas como caminhos únicos para os impasses que vivemos enquanto colectivo humano. O nosso foco é “o comum”, a forma de o construir numa lógica participada gerando alternativas, por agora aparentemente “impossíveis”, mas que se tornam possíveis perante a respiração e o decidir dissipar a confusão. Seduz-nos a diversidade, o confronto construtivo, as relações horizontais e responsáveis como estímulo à evolução humana e à democracia que se configura hoje muito frágil», explica Hugo Cruz, director artístico do festival.


Durante uma semana, o MEXE vai contar com 70 acções que integram mais de 400 participantes, vindos de 6 países e ocupando 22 espaços no Porto, «dos mais convencionais aos mais improváveis». O jardim de S. Lázaro é o ponto de encontro do evento, sendo o palco principal de várias actividades e de concertos diários como o colectivo Oupa Cerco ou o projecto Fado Bicha.


"Duck March", performance trazida por Caterina Moroni.

O MEXE acontece de 16 a 22 de Setembro, mas a programação arranca já esta Sexta-feira, 13, com cinema documental, no Pré-MEXE.


Para além dos concertos, cinema e espectáculos, oficinas e conversas, outro dos pontos altos do programa é o Encontro Internacional de Reflexão das Práticas Artísticas Comunitário, que acontece de 16 a 18 de Setembro e envolve 9 universidades e mais de 100 investigadores de vários países.


Programa e informações em mexe.org



BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/16

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.