Buscar

Karl Emil Biel


Construção da ponte D. Luís, Porto, 1883.

Karl Emil Biel, que ficaria conhecido como Emílio Biel, foi um negociante, editor e fotógrafo alemão, considerado um dos pioneiros da fotografia e da fototipia* em Portugal.

Nascido em Annberg, na Alemanha, em 1838, Biel chega a Lisboa em 1857, onde permanece até 1860, ano em que se muda para a cidade do Porto, tendo inicialmente como principal ocupação o comércio e a indústria, sendo o responsável pela representação em Portugal de firmas como Coats & Clark, Benz, Schuckert & Co., entre outras. Em 1864 estabelece-se por conta própria como comerciante e industrial, fundando uma fábrica de botões.

Posteriormente, em 1874 compra a “Casa Fritz” localizada na Rua do Almada, que viria a ser conhecida por “Casa Biel”, um espaço dedicado à fotografia que marcaria o início da sua carreira nessa área. Mais tarde, a "E. Biel & Cia" passou para o Palácio do Conde do Bolhão, no n.º 342 da Rua Formosa.

A par do trabalho de estúdio, Biel dedica-se também à fotografia paisagística e industrial, fotografando diversas obras de engenharia: em 1885 iniciou o levantamento documental e fotográfico da construção do caminho-de-ferro em Portugal, do porto de Leixões em Matosinhos entre 1884 e 1892, da Ponte D. Luís, no Porto (1881-1889) assim como da Ponte D. Maria Pia, das quais se destacam as suas imagens de funcionários a trabalhar no pilar de sustentação. As suas imagens funcionam como importantes documentos históricos sobre o património urbano, industrial ou natural no século XIX e XX, aliando à vertente documental o olhar fotográfico e artístico, procurando registar não só a imponência da obra como também a complexidade e a exigência da construção.

Biel foi ainda Photographo da Caza Real, na época do rei D. Fernando de Saxe-Coburgo-Gota, também de nacionalidade alemã chegando mesmo a ser um dos fotógrafos favoritos da casa real, em boa parte graças à sua proximidade com o príncipe D. Fernando, um grande mecenas, casado com a Rainha D. Maria II, ou colaborador fotográfico na revista Illustração Portugueza (1884-1890), no semanário Branco e Negro (1896-1898) e ainda na revista Tiro e Sport (1904-1913).

Como editor, foi responsável pela publicação de uma edição luxuosa de Os Lusíadas, impressa em Leipzig, na Alemanha em 1880, O Douro: principaes quintas, navegação, culturas, paisagens e costumes de Manuel Monteiro, ou ainda A Arte e a Natureza em Portugal, obra impressa em fototipia e dividida em 8 volumes, publicados entre 1902 e 1908, com um volume dedicado ao Porto e uma série dedicada à região do Douro. Esta obra resultou da sua longa colaboração com o historiador e crítico de arte Joaquim de Vasconcelos, em parceria com o fotógrafo José Augusto da Cunha Moraes e Fernando Brütt, tendo contado ainda com a colaboração de numeroso grupo de escritores e eruditos, como Joaquim Vasconcelos, Carolina Michaëlis de Vasconcelos, Manuel Monteiro, Augusto Fuschini, Júlio de Castilho, Ramalho Ortigão, Luís de Magalhães, Brito Rebelo, Gabriel Pereira e Luís Figueiredo da Guerra, entre outros. Mais tarde viria a lançar uma outra edição Arte Religiosa em Portugal, que ficaria inacabada, devido à sua morte a 14 de Setembro de 1915.

Premiado em diversas exposições com medalhas de ouro e prata, Biel realizou diversas reportagens fotográficas pelo país, produzindo tanto retratos das figuras da sociedade da época como postais ilustrados de paisagens de Portugal, registando em centenas de imagens, os costumes e as tradições e acompanhando a evolução e o crescimento do país, dividindo então entre a ruralidade e uma tentativa de modernização.

Uma parte do espólio da Emílio Biel & Cª, encontra-se actualmente na posse do Arquivo Histórico Municipal do Porto.

* Processo fotomecânico de fixação da imagem que permitia fazer reproduções em massa, com centenas de provas saídas de uma única chapa, sem perder nitidez nem pormenores, que lhe foi transmitido por um austríaco então contratado por Carlos Relvas, nome fundamental da fotografia portuguesa.

Aspecto de um barco rabelo navegando no rio Douro, com vista para a cidade da Régua, 1911.

A Ponte D. Luís em construção, Porto, c. 1884.

Construção da Ponte D. Luís, Porto,1883.

Construção da Ponte D. Maria, Porto, 1877.

Linha do Tua - Túnel das Fragas Más, s.d.

Ponte de Viana do Castelo – Os Caminhos de Ferro Portugueses, s.d.

Gare de Viana do Castelo - Os Caminhos de Ferro Portugueses, s.d.

#FOTOGRAFIA #ARQUIVOFOTOGRÁFICO

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/16

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.