Buscar

TerriuS – um regresso às origens e uma partilha pelo mundo


Situada em plena Serra de São Mamede, em Portalegre, a TerriuS beneficia de uma envolvência paisagística única onde a facilidade de um encher de ar de pulmões tem a leveza dos dias passados em boa companhia. Chegados a Portagem, Marvão, um moinho tosco com uma placa indicativa garante que estamos no local certo. A TerriuS está sediada no Moinho da Cova no Centro de Lazer da Portagem, em Marvão. O Moinho serve também como pequeno museu de cariz etnográfico com entrada livre que interpreta o funcionamento do engenho e nos aproxima das vivências da vida de um moleiro.

Alicerçada entre os vectores da inovação e da tradição, a TerriuS reúne um grupo de agricultores ligados à actividade agropecuária e com perfil “mãos-na-terra”, tendo como principal objectivo a produção sustentada, a conservação e a comercialização de produtos silvestres, de frutos e de hortícolas de excelência originários da região do Alto Alentejo. É no início de 2011 que um grupo de amigos motivado pela vontade de criar um projecto marcante em Marvão e com formação na área de agronomia propõe recuperar a castanha DOP (Denominação de Origem Protegida) e a maçã IGP (Indicação Geográfica Protegida). Seguiu-se a aposta na cultura de cogumelos e, posteriormente, nos restantes produtos que formam hoje o catálogo da TerriuS, conta-nos Rita Beltrão Martins, Directora-geral da TerriuS. São então estabelecidas parcerias de comércio justo com os pequenos produtores locais e com as indústrias transformadoras da região com o intuito de valorizar os produtos locais com base num desenvolvimento sustentado que promove a preservação do património natural e a valorização da região do Alto Alentejo.

O financiamento inicial constituiu-se com capitais próprios e, ao fim de um ano, desenvolveu-se o projecto “Sabores do Alentejo” com a Associação para o Desenvolvimento em Espaço Rural do Norte Alentejo (ADER-AL). O salto para a internacionalização aconteceu com o apoio do QREN: durante, aproximadamente, um ano e meio, foram contratualizados alguns investimentos com o Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo. Foram épocas marcadas por forte presença em feiras nacionais e internacionais, bem como participação em palestras e congressos ligados principalmente às áreas da inovação e do empreendedorismo. Para além da valorização da produção agrícola, a TerriuS afirma-se ainda enquanto entidade promotora de experiências gastronómicas direccionadas para grupos nacionais e estrangeiros. Os programas incluem provas de vinho, passeios de Jipe à descoberta da Serra de S. Mamede, tradicionais piqueniques ao pôr-do-sol, showcookings com produtos Terrius e workshops de trabalho em cortiça com um artesão local.

A promoção dos produtos e actividades está a cargo dos dois sócios, Rita Beltrão Martins e Filipe Verdasca Fernandes que, com a paixão de quem abraçou uma região de alma e coração, divulgam, valorizam e comunicam diariamente este projecto ao qual se dedicam a tempo inteiro. Com um horizonte de objectivos de expansão e de afirmação no mercado internacional, a TerriuS procura uma linha de crescimento valorizadora da importância da produção sustentada. A TerriuS integra ainda a rede True Food Alliance com a intenção de trabalhar em conjunto com outros produtores crentes na mesma ideologia de produção para que, em parceria, se desenvolvam projectos de forma unificada e sustentada. O desenvolvimento da agricultura na região e a fixação de mais jovens na zona de Marvão fazem também parte dos objectivos da TerriuS.

Um projecto criado em comunhão com a região, as suas histórias, pessoas, passados e tradições. Como afirma Rita Beltrão Martins “É através dessa envolvência que nos sentimos inspirados, nos detalhes que nela encontramos; o mercado que queremos conquistar procura produtos de elevada qualidade com uma história para contar, próximo daqueles que nos relembra as suas origens”.

Saiba mais sobre a TerriuS em www.terrius.pt

#ALENTEJO #GASTRONOMIA

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/15

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.