Buscar

Aplicação mobile traz-nos Lisboa de outros tempos


Foi na passada quinta-feira, dia 19 de Junho de 2014, pelas 18h, que foi apresentada, no Museu da Cidade, a aplicação Rewind Cities Lisbon. Trata-se de um projecto inovador na área do turismo cultural que pretende proporcionar ao turista e aos próprios habitantes da cidade experiências de realidade aumentada.

Apresentado há cerca de um ano à vereadora do pelouro da Economia e Inovação, Graça Fonseca, no âmbito do Lisboa Empreende, este projecto obteve o microcrédito de apoio ao empreendedorismo, tendo a vereadora salientado o potencial turístico desta aplicação e o desejo de a estender a outras cidades.

Em substituição de Catarina Vaz Pinto, Manuel Veiga – Director Municipal de Cultura – marcou também presença no evento, a par de António Miranda, director do Museu da Cidade, que colaborou de perto com o projecto. A mentora do Rewind Cities Lisbon, Cristina Kirbky, explicou-nos a ideia inicial deste projecto: contornar o desinteresse dos alunos e demais pessoas na história e património lisboetas. Na sua óptica, há que se conhecer Lisboa para se gostar dela. É necessário, portanto, legendar a cidade e desvendar os seus mistérios e segredos. Deste modo, a ideia do projecto foi apresentada a um parceiro tecnológico, IT People, a quem coube a sua materialização. Eduardo Vieitas, CEO da empresa, apresentou uma demonstração prática do funcionamento da aplicação.

O primeiro passo, evidentemente, passa por descarregar a aplicação para um telemóvel ou tablet android. De seguida somos confrontados com um mapa, coberto de pequenos marcos a rosa, que indicam os locais de Lisboa que estão referenciados no sistema e nos quais é possível interagir com a aplicação. Se estivermos num desses lugares, basta apontar a câmara do telemóvel para o local e escolher uma das opções: Forgotten City – onde podemos ver imagens e vídeos de vários momentos chave que ocorreram nesse local; Time Machine – onde temos acesso a experiências de realidade aumentada através da sobreposição da imagem antiga do local com a actual; Total Recall - que nos proporciona uma experiência animada e em 3D que nos permite conhecer algumas personagens históricas que nos contam e fazem reviver a história da cidade; Time Traveller – permite-nos criar postais com imagens antigas de vários edifícios.

Este projecto contou com a contribuição de várias instituições das quais se destacam o Arquivo Fotográfico de Lisboa, para a cedência da maior parte das imagens da aplicação, o Gabinete de Estudos Olisiponenses, para a recolha de informação, e o Museu da Cidade, para a cedência de imagens não fotográficas.

Eduardo Vieitas reforçou, por último, a vontade de tornar este projecto numa referência, não se tornando apenas em mais uma aplicação obsoleta para os seus utilizadores. Deste modo pretende-se criar uma aplicação interactiva com constante renovação de conteúdos.

A demonstração da Rewind Cities Lisbon aconteceu nos jardins do Museu, com uma rota especificamente preparada para o público, devido à impossibilidade de deslocação a cada um dos locais existentes na aplicação. Deste modo, através de um sistema de georeferenciação e com o recurso a várias fotografias dos diferentes locais, cada utilizador pôde experimentar a Rewind Cities Lisbon e explorar o seu conteúdo, descobrindo mais sobre o seu património e a história a ele associada, de forma simples e inovadora, aguçando, de facto, a vontade de conhecer Lisboa.

O projecto conta com os apoios da Câmara Municipal de Lisboa, da Samsung e da Carris/Metro e pode ser descarregada na loja Samsung, no Google Play e, brevemente, na Apple Store.

#HISTÓRIA #LISBOA #PATRIMÓNIO #APP

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/16

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.