Buscar

Lisboa Romana já tem website


Lançado em 2017 e apresentado em Abril de 2019 , o projecto Lisboa Romana | Felicitas Iulia Olisipo centra-se na presença romana em Lisboa e na Área Metropolitana (AML), pretendendo ser uma referência no âmbito da investigação e conhecimento relativo a este período e, ao mesmo tempo, dar a conhecer ao público todo este património, muito dele ainda por estudar.


Estão identificados na AML cerca de 350 sítios de interesse arqueológico da época romana. O objectivo é aprofundar o conhecimento e pôr à vista de todos este vasto património.


A nova plataforma digital do projecto Lisboa Romana é, simultaneamente, um guia turístico, um repositório de conhecimento científico e uma plataforma de aprendizagem. Permite definir percursos de visita, assistir a recriações históricas e aceder a artigos científicos sobre as descobertas arqueológicas mais recentes. Também existirá em versão app.


No site estão delineados 15 percursos que permitem descobrir património romano entre Torres Vedras e Setúbal. Mas o visitante também pode definir a sua própria rota, escolhendo directamente a partir do mapa. Noutra secção encontram-se histórias e personagens de Olisipo e do mundo antigo que abrangem acontecimentos que vão do séc. VII a.C. ao séc. VII d.C., englobando assim a Lisboa pré e pós romana.


Para um público mais especializado existe o Repositorium, que funciona como um acervo de fichas de registo e artigos científicos produzidos no âmbito do projecto.


Neste esforço participam cerca de 250 investigadores, 5 universidades, 18 municípios e várias empresas de arqueologia. Entre as instituições públicas e privadas envolvidas, estão o Castelo de S. Jorge, a Direcção Regional da Cultura do Norte, a Direcção Geral do Património Cultural, o Museu de Lisboa, o Museu Nacional de Arqueologia, o NARC/ Fundação Millennium BCP, a Empark, a Veiga de Mago.


lisboaromana.pt


#LISBOA #ARQUEOLOGIA #HISTÓRIA #LISBOAROMANA #TURISMO #ROMANIDADE

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/16

Um projecto

© 2021 Spira

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.