Buscar

"Danças, Bailinhos e Comédias" da ilha Terceira classificados património imaterial



A Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) decidiu inscrever as Danças, Bailinhos e Comédias da ilha Terceira no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, na sequência de uma proposta da Direcção Regional de Cultura dos Açores.


De acordo com o anúncio publicado no Diário da República, a decisão foi fundamentada na “importância de que se reveste esta manifestação” do património cultural imaterial enquanto “reflexo da identidade da comunidade em que esta tradição se originou e se pratica”.


Segundo o anúncio, o pedido de inventariação “resultou da iniciativa da comunidade” no âmbito da qual se realizam as Danças, Bailinhos e Comédias da ilha Terceira, tendo em vista a valorização desta manifestação do património cultural imaterial à escala nacional”.


Um estudo de Américo Augusto Roque refere que as danças e bailinhos constituem uma “manifestação artística de cariz popular, onde as artes performativas através da dança, do teatro, da música e do traje, aliadas com a gastronomia, exprimem e evidenciam o sentir identitário há muito enraizado na alma terceirense”.


Durante quatro dias, entre o sábado e a terça-feira de Entrudo, centenas de actores, cantores e músicos amadores percorrem mais de 30 locais na ilha Terceira, actuando de forma gratuita, pela madrugada dentro, com danças, bailinhos e comédias, que são espectáculos de teatro popular, em rima, muitas vezes com crítica social, intercalados com coreografias e música. A participação nestas manifestações era, outrora, restrita aos homens, que representavam até as personagens femininas.


#AÇORES #PATRIMÓNIOIMATERIAL #PERFORMANCE #DANÇA #TEATRO #ARTEPOPULAR

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/16

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.