Buscar

Do que se faz a Bienal Ibérica de Património Cultural?


A Junta de Castela e Leão, a Comissão Nacional da UNESCO, a AICEP Portugal Global, a Direcção-Geral do Património Cultural, o Turismo de Portugal, a Fundação Millennium e, ainda, o Alto Patrocínio da Presidência da República foram as entidades parceiras que ajudaram a garantir o sucesso da Bienal Ibérica de Património Cultural, organizada e produzida pela Spira e promovida pela Câmara Municipal de Loulé.


Cerca de 10650 pessoas estiveram presentes nas diferentes actividades da programação da Bienal 2019, numa edição fortemente internacional mas também fortemente enfatizadora do património local - neste caso, louletano.



Tendo Marrocos como país convidado, na edição deste ano da Bienal procurou-se perceber o estado da arte, as circunstâncias políticas, diplomáticas e económicas de um enquadramento de cooperação em matéria de património cultural entre Portugal e Marrocos.



Numa representação oficial encabeçada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e envolvendo os Ministérios da Cultura e da Comunicação e do Turismo e do Artesanato de Marrocos, as três dimensões da política patrimonial - relações externas, economia e cultura estiveram representadas ao mais alto nível, na forma de um Workshop Portugal/Marrocos, reuniões bilaterais, artes e ofícios tradicionais e especialistas marroquinos da área da gestão patrimonial, formação e investigação aplicada.


Também a Espanha, Itália, Brasil, Holanda e Áustria marcaram presença, tanto na forma de expositores, de conferencistas, como ainda de representação institucional. No caso da Itália e da Áustria, nestes países promovem-se eventos congéneres da Bienal: o Salone dell'Arte e del Restauro di Firenze (Itália) e o MONUMENTO Salzburg (Áustria), membros da rede Herifairs criada em 2018 entre estes dois países, com Espanha (Bienal AR&PA) e Portugal.


#BIENALARPA

BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/16

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia, excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.