BIENAL AR&PA 2019

OPINIÃO

1/15

A actualidade do património cultural em Portugal

Um projecto

© 2020 Spira

Conteúdos redigidos de acordo com a antiga ortografia excepto no caso de artigos de autor, nos quais este/a é livre de optar.

Buscar

Ilustrações do Palácio Nacional de Mafra


Aguarela, 1810

Conjunto arquitectónico barroco, formado pelo Paço Real, Basílica e Convento, o Palácio Nacional de Mafra foi mandado construir no século XVIII pelo Rei D. João V em cumprimento de um voto para obter sucessão do seu casamento com D. Maria Ana de Áustria.

Construído em pedra lioz da região, o edifício ocupa uma área aproximada de quatro hectares (37.790 m2), compreendendo 1200 divisões, mais de 4700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios e saguões.

A magnificência da Real Obra incluiu ainda a encomenda de esculturas e pinturas a Mestres Italianos e Portugueses, a criação de uma biblioteca única no século XVIII com cerca de 38.000 volumes, a encomenda na Flandres de dois carrilhões com 92 sinos e ainda de um conjunto de seis órgãos históricos para a Basílica, e um Núcleo Conventual com um hospital de época. Não sendo residência habitual da Família Real, o Paço de Mafra foi sempre muito visitado pelos Reis, para assistirem a festas religiosas ou caçar na Tapada.

Hoje considerado o mais importante monumento barroco em Portugal, a grandiosidade da sua construção só foi possível devido ao ouro que então chegava do Brasil, que permitiu ao Monarca no trono por em prática uma política mecenática de reforço da autoridade régia.

Um dos monumentos nacionais mais visitados em 2017, apresentamos algumas ilustrações antigas deste imponente palácio.

Palácio de Mafra, em meados do século XVIII Autor não identificado, anterior a 1755 Col. particular

1850

#ILUSTRAÇÃO #MAFRA #MONUMENTOS #PATRIMÓNIO